segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Covilhã - Os Tombos XI

      Vamos continuar a publicar tombos de várias instituições da Covilhã e seu termo. Já publicámos os tombos dos bens da Misericórdia, dos de Santa Maria da Estrela, dos bens do Bem-Aventurado Senhor São Lázaro, dos bens e propriedades da comenda da Igreja de Santa Maria da Covilhã, da comenda de Sam Joam das Refegas existentes no espólio de Luiz Fernando Carvalho Dias, bem como as Inquirições de D. Dinis e de D. João I.
     Hoje continuamos a publicar o “Tombo dos bens foros e propiedades que pertencem ao conçelho da Villa de Couilhã que se fez por mandado do Muy alto e poderoso Rey Dom Phellippe o 2.° de Portugal Nosso Senhor na era de 1615.” Este tombo revela-nos a extensão do concelho da Covilhã no início do século XVII, bem mais reduzida que em séculos anteriores.

Propriedades Covilhanenses


TITOLO DAS PROPIEDADES QUE NESTA VILLA E TERMO PAGUAM FORO AO CONÇELHO E DAS PESSOAS QUE DO PRESENTE AS PESSUEM
o licenciado Aluaro Roiz desta Villa pagua de foro (13) em cada hum anno Imfatiozim dous mil reis ao conçelho do cano dagoa que tem nas casas em que viue que foram de dona Antónia e com este foro e pensam as pessujra sempre quem viuer nelas.
dioguo de Serpa da Silva (14) desta vila pagua cada año mil reis de foro Imfatiozim ao conçelho de um anel dagoa que a camara lhe deu cuja medida esta na camara e esta em hum qintal seu pera o qual lha deram e com esta obrigação E foro pessujram asim elle como os mais que lhe suçederem nas ditas cazas e qintal E não paguando se lhe tirara comforme a escretura que esta feita disso.
Caterina dalmeida de Mello filha de Jeronjmo dalmeida morador que foi em porco termo da guarda que ora está cazada com ……tónio Ribeiro escriuam da provedoria da comarca da garda …….         um prazo no lemite de peraboa que se chama o perejro que …….só propiedade muito grande sem se meter outra nenhuã …….            parte de huma banda com as terras da carrapata pelo cj …. ….. terras do Carvalhal E com terras do bispo. E com outras ………… roda de que pagua de foro em cada ano duzentos reis ……… e das vidas a derradejra he a dita cate….. por o dito prazo ser feito pelos tre …….. gestade fez no ano de quinhentos E ……deira Renouação e conforme ……. e não se pode mais tornar a reno…… mara que forem ao tempo que (15) vaguar o dito prazo por falecimento desta ultima pessuidora tomem loguo posse delle pera o dito conçelho E lho restetuam e na forma da dita prouizam o não renovem nem lho tornem aforar nem a outra pessoa alguma sob as penas da dita prouizam antes daj por diante o aremdaram assim como arrendam as mais rendas do conçelho porcoanto Sua Magestade assi o manda que nem com proui­zam sua se possa emprazar salvo com as condiçois conteudas na dita provizam.
O prazo (16) do Candal que está em o lemite de alcangosta de que he pessuejro bastiam fernandez pagua mil reis de foro ao comçelho cada hum ano pera sempre o qual prazo esta repartido nas pessoas segintes cada hum com suas propie­dades a saber - O dito bastiam fêz pessue um chão onde chamam o candal que parte com Pero fêz E Lionel Cristouam e estrada do conçelho & lemite do fun­dão e bem assi hum rebolal ahi junto, que parte com pero fernandes e com estrada do conçelho de que pagua quatroçentos reis - guaspar gonçalues hum chão que está ao candal que parte com a ribeira e com Joam fernandes E bas­tiam fernandes E assim hum rebolal que parte com estrada do conçelho e com bastiam fernandes de que pagua trezentos cincoenta reis. - lionel cristovam hum cham ao Camdal que parte com pizois de Serafino da Costa E com estrada do, conçelho e com a orfão de Simam duarte de que pagua outenta reis - Ca­terina orfam filha que ficou de Simão duarte e de Maria fernandez um souto e ……….. que parte com lionel Cristouam E com ….. gua cento e setenta reis as quais ade …to  bastiam fernandes ha de arecada …… conçelho conforme ao, prazo, que no ………….
Os moradores do lugar de Un (hais) ……… tos reis de Imfantiozim a este ............... valhal de alfofa que parte com …………
E com o lemite da Villa de Manteigas o qual lhe emprazou a camara desta Villa no año de seiscentos e sete por renunciação que delle fez afonso, folguado e sua mulher Isabel Gonçalves que o pessuiram muitos anos antes o qual per achar ser em proveito Do concelho lhe confirmej o dito prazo pello dito preço.
António Roiz (17) Careta e dominguos vaz e seu cunhado de aldea nova do Cabo pagam ao conçelho duzentos reis de foro em cada hum anno pera sempro de hum cham a Olaria lemite do dito Luguar que oje parte com António de proença e com bertolomeu figueira e com a molher que ficou de joam perejra e com tomé andré com suas oliueiras e mais aruores que tem de comprido cento E cincoenta varas e de largo na fundo seis e no meia vinte e huã E em cima seis e meja: será pessuejro antónio Roiz a quem se fez de novo prazo Imfatiosim.
O prazo do Bodelhão que ora pessue Joam francisco morador no mesmo luguar de bodelham he feito a cento, e nouenta annos Imfatiosim e paga cada año de foro sessenta reis tem castinhejros e olivejras cazas terras de pam e parte com a ribeira do bodelhão E com a ribejra do Seixo.            .
Antão de Matos do luguar da Bojdobra pessue um Souto onde ….. chafariz da corredoura o qual está no tombo ………… nha per da Gafaria e por estar ………. ncelho e lhe fica aforado em três …………. na forma do prazo que lhe fica ……E caminho do concelho paga dele ……………… zentos reis em cada anno.


Janela Manuelina na zona da Judiaria (?)

......... desta Vila paga de foro em cada hum anno ao conçelho corenta e três reis Imfatiosim, per huma (18) adiçam trinta e seis do tombo velho, que diz «na Judaria hum cham E um penedo, ante a porta de Salomão de Sea Oriuez que parte com rua publica E detras com a molher que foj de habraam das va­quas E com Juça vezinho trazeo a dita mulher que foj de habraam das vaquas e pagua per elle corenta e tres reis e dous pretos a qual casa cham e penedo, por dito de todos os louvados se acha a pessuir o dito henrique fernandez E asim o achej nos rois dos tizoureijos antiguos pello que o condenej que doje per diante paguasse as ditos corenta e tres reis cada hum ano.
Custódia Henriquez molher de Simão Botelho, desta Villa tras huma (19) terra do cançelho que esta onde chamão a Corredoura posta de vinha com seu laguar que parte com Manuel Lopez a manzinha E chãos da leçençeado alvaro Roiz e vinha de Manuel Pinto e vinha de Pero vaaz E com a estrada do conçelho que leua outo homens de cava a qual foj já aforada a Manuel Lopez e per cajrem em comiso de a vender sem licença da camara se aforou ao dito Simão botelho Imfatiosim em preço de trezentos reis cada año pera sempre.
O padre Jeronimo Vaaz desta villa tem humas olivejras mesturadas (20) com outras suas das quais se faz menção no tombo velho nº corenta e dous que diz «a São João de Manta em colo huma quelha com Olivejras per onde corre a agua dalcarçaua paga sete reis de foro Imfathiosim» e por asento dos lauvados consta ser esta adiçam a que pessue o padre Jeronimo Vaaz.
Pero antunes pagua ao conçelho em cada hum ano Imfathiosim (21) vinte outo reis de hum Soutinho e pomar que esta a ponte de rede moinhos que parte com a Ribeira e com Leonor ribeira E com a estrada do conçelho de que paga pelo tombo velho o sobredito.
Breatiz alvres fatella (22) desta villa pagua de foro em cada hum año (23) ao conçelho trinta e dous reis de hum chãm com olivejras que estão diguo de humas olivejras que estam peguado (sic) com a calçada per baixo de Santo estevão junto ao caminho. - (paga mais dez reis de hum cham a bojdobra que parte com braz de Matos e miguel da Silva).
Dioguo paiz desta villa genro de Ambrosio Ravasco que esta no tombo velho adiçam quarenta e cinco e por Informação dos louuados consta ser a propria que pesue o dito diogo paiz o qual vindo a Juizo apresentou carta de compra de quarenta anos, que se vendeu liure do foro do conçelho que eram de dez reis contheudos na dita adiçam porém se vendeu com hum alquejre dazeite de foro para o Santísimo Sacramento da Igreja de Santa Maria e por ser em notauel proueito da dita comfraria E o foro do conçelho não ser de consideraçam, açen­tej com pareçer dos officiais da camara e louuados que senão arrecadassem os dez reis de foro e se pagasse ho alqueire dazeite a dita comfraria em cada hum año.
diogo peres morador nesta villa digo dioguo peres da Costa pessue (24) hum Souto à dorna que parte com oliual do prazo de Santa Cruz de Coimbra o qual os louuados declararão ser adição do tombo velho, verba quarenta e huma de que comforme a ella se paguam corenta E outo reis de foro em cada año e pareceo o dito diogo perez da costa e comfesou paguar os ditos quarenta E outo reis.
Gaspar de la praça desta villa, pessue hum oliual a samLazaro (25) qonteudo nadicão do tombo velho nº 18 e pareçeo em Juizo e posto que apresentou escretura que comprara liure comsentio se lhe carregasse o foro do dito tombo que sam vinte tres reis.
dominguos machado (26) desta villa pessue huãs olivejras por baixo do chafariz dolvidejro defronte do cham de manoel doliual que esta no tombo velho adição coarta no qual lhe não esta posto foro per emtam ser eham e oje ser olivejras pareceo em Juizo não deu descargua alguma paguara delle de foro em cada año vinte reis (27).
Anna Correa (28) molher que ficou de Jorge de Faria Garçes (a) desta villa pagua dez reis de foro Imfatiosim a este conçelho de hum quintal que meteo com outro seu a que o tombo velho chama monturo na segunda adição dele = (29).
Breatiz henriques (30) veuua de António frz o relha pagua quarêta reis de foro ao conçelho Imfatiosim de huma quelha que tem detraz das suas cazas que lhe aforarão os officiais da Camara (31).
O Padre Joam Alvres prior de Sam Paulo (32) pessue um pequeno de pomar que  esta a fonte de paulo afonso, que pessuio antes delle o p.e Guaspar da Rocha e lho deixou com emcargo de certas misas e pagua delle a este conçelho çem reis de foro em cada año. = (33).
Caterina lopez (34) veuua filha de manoel lopez canta mjram (35) desta vi1la pagua ao conçelho duzentos E outenta reis de hum prazo em vidas de que ella he a derradejra feito pellos officiais da Camara no año de mil quinhentos E noventa e seis ho qual prazo apresentou em juizo e por ella consta o sobredito e o dito cham E Souto esta ao pedregal, e parte com pomar de Izabel fernandez veuva E cõ breatiz alvres fatela E com caminho do conçelho Mando que per morte da dita Caterina lopez veuva o conçelho tome posse do dito prazo E se faça no fim deste tombo, menção disso E não o tornem a emprazar por ser asi conforme a provisam de Sua Magestade passada no año de mil quinhentos sesenta E outo.
Manoel dolivejra (36) morador no teixoso pagua a este conçelho de (37) tempo Immemorial quarenta reis como se ve dos Roes de todos os thezourejros que me foram apresentados e posto que não consta da propriedade de que os pagua pella Informação que tomej deve estar em o lemite de peraboa E sendo cha­mado por vezes não pareçeo por ter empedimento somente o comfessou por       cartas.
O doutor Simão Cardoso Cabral (38) desta villa pagua outo reis de foro (39) de hum olival que esta no tombo velho adiçam quarenta E quatro que parte com as casas e cham da comenda e camjnho.
Dioguo Sardinha (40) desta villa pagua de foro Imfatiosim (41) cada hum año a este conçelho trezentos E outenta e cinco rs. de hus Soutos que estam em tres partes a saber a fomte do Souto por çima da casa do moram E no atalho que vaj para o teixoso E de fronte da Relua do Marques - e assim pagua mais çinco reis de huma quelha que meteu no seu chão de palhais - que vem ser tudo trezentos E outenta reis.
Breatiz Roiz (42) veuva moradora em o luguar do teixoso sogra (43) de domingos esteves lamaçais pagua a este conçelho de foro em cada hum año vinte reis como consta dos Roes dos tisourejros.Manoel da nave (b) (44)  desta villa pagua de foro em cada hum año (45) a este conçe­lho quinze reis que sempre pagou como consta de todos os Roes dos tisourejros:
Simão da costa (46) nugueira morador nesta villa paga de foro cada año (47) dez reis de hum pomar que esta ao emxarauado que (48) parte com Manoel Roiz E com a molher de françisco alvres fatella E com a ribeira do conçelho.
Tem o conçelho huma barbacam que começa ao postigo de bras (49) tavares e corre ao longo do muro até as portas de Sam Vicente em o qual esta huma oli­vejra. E por ser Imformado que o pessuja andre do valle caldejra sendo cha­mado a juizo pareçeo dise que nunca pesuira ttal barbaquam. E que não tinha duuida a ficar o conçelho pello que julguej a dita barbacam E olivejra por do conçelho pera que os officiais da camara façam della o que lhes pareçer.
Diogo peres da Costa pagua mais de dez reis de foro ao conçelho (50) de huma travesa que tem tapada antre o seu cham a Sam Joam que esta a fonte das galinhas E o cham do prior de Sam Paulo.
Manoel Jorge desta villa pagua dez reis de foro a este concelho (51) cada año de huma quelha do conçelho que pessue que comprou a dioguo Sardinha que esta junto as suas casas em o qintal:
Belchior vaaz (52) da capela do madril desta villa pagua de foro em cada hum ano a este conçelho outenta e dous reis de hum olival que esta a sam joam do hospital que parte com adro da dita Igreja E com olival de balthasar seco e dioguo gês = E doutro olival a Santo esteuão que parte com breatiz alvrez Vª  E com estrada do conçelho, e hum Souto camjnho de tortozendo, que parte com Souto dos herdejros de dioguo Sardinha o velho E com Souto que foi do padre Graviel de figejredo - como tudo constou dos prazos e titolos que apresentou feitos ha mais de çento e çincoenta annos, que foram havidos por bons.
Pello qintal de Simão dalmeida que mora a fonte de Sam Joam de montencollo pasa o cano dagoa que vem do chafariz da dita fonte o qual cano vem descuberto os descobrio pera agoa vir melhor E não criar Raizes dentro E vir mais limpa E pera se poder alimpar coando fosse neçesareo neste cano que he do conçelho e de que esta de posse despois que he fonte ate oje neste cano, tem o dito simão dalmeida posto hum cano de ferro com que toma agua pera regar um quintali­nho, o qual a camara lhe consentio até gora Sendo chamado a juizo disse dezes­tia delle e que fizesse a camara o que lhe pareçesse, com o pareçer dos officiais da Camara asentei que elle pudese usar da pena dagoa de que ora usa a arbitro dos officiais E em quanto elles quizerem que elle uze della E avendo neçes­sidade della na villa sempre lha taparam e não usara della.
Antonio delguado (53) desta villa pagua de foro em cada hu ano (54) pera sempre vinte rs de hum cham no Samgrinhal que foj do padre agostinho fernandes de que paguava no Rol dos tizourejros sete reis o qual parte com elle mesmo e com herdejros de matheus lopez E com fernão barata lamejra, pareçeo em juizo E per consentimento seu e dos oficiaes da Camara se lhe lançou vinte reis de foro que pagara Imfatiosim cada anño.
Miguel Vaaz da Orta (55) desta Villa pagua de foro em cada ano (56) dez reis Imfatiozim da agoa que vaj dalcarcoua para o seu chão.
Guonçalo Villa Real (57) Meirinho desta Villa pagua de foro Em (58) cada hum año vinte reis de hum cham a corredoura que comprou a bertolomeu de Goes que parte com domingos machado E com a estrada do conçelho e com elle mesmo.
Dioguo Mendes desta villa paguara de foro em cada hum ano (59) para sempre quarenta reis de hum pequeno chão com aruores que tem metido em hum seu pomar que parte com o dito pomar E com cham e souto do conçelho que pessue caterina lopez filha de manoel lopez cantamjram E com estrada do conçelho E quem quer que pessuir o dito cham paguara este foro.
esteuão piz morador nesta villa ha de paguar cada hum año (60) pera sempre vinte reis de hum cham com suas olivejras que chamão o cham do poço por baixo do camjnho que vaj pera Santa Marinha que esta no tombo velho adiçam quarenta e tres, que parte com olivejras do licençeado Manoel Ravasco E com antonio nunes. o portugues. com chão seu.
bras de matos de boi dobra pagua de foro em cada hum año pera (61) sempre dez reis de hum cham que tem a boj dobra que parte com antonio lourenço desta villa e com estrada do concelho e breatiz alvres.
Santa Maria da Estrela
Antonio piz de boj dobra e seus cunhados filhos de pero fêz (62) duram paguam ao conçelho dez reis de foro Imfatiozim cada año de hum cham que esta ao Ribeiro do Negro que parte com francisco fiz poejo e com prazo da abadia de nosa Senhora da estrella e chãos da Capella de Simão Roiz, pareçeo o dito antonio piz que fica perpesuejro de seus cunhados E a seu dito se lançou este foro per andar ja nos Rolles dos tisourejros antiguos:
Miguel da Silva morador nesta villa como herdejro de Maria (63) Rega pagua corenta reis em cada hum año de foro ao concelho de hum cham que esta a Ripiada que parte com Maria Vaaz (64) e com estrada do conçelho que vaj para hus pomares.Luiz de Campos (65) desta villa pagua de foro em cada hum año qinze reis de hum laguar que comprou aos erdejros de guaspar ribeiro que esta a ponte de martimcolo.o dito luiz de Campos pagura mais corenta reis de foro em cada (66) hum año de hum çerrado de oliual que esta por baixo de Santo esteuão que parte com a calçada e com çerrado do dito luis de campo que comprou aos herdejros de antonio fejo E me constou per Imformação de tomey sobre esta adiçam ser este olival forejro posto que do dito antonio fejo ficasse mais hum pomar por quanto pera a parte do dito pomar não achej cousa Forejra. E pera onde esta o dito oli­val todos os mais sam foreiros. E em cazo que o dito luiz de campos em algum tempo mostre outra propiedade em que este o dito foro, ficara desobrigado desta adição Ese carregara na que constar que a deva.o leçenceado ManoeI Ravasquo desta villa pagua em cada año (67) ao conçelho duzentos reis Imfatiozim de hum moinho na ribeira dos pelames que parte com a Ribejra E com elle E de hua casa E quintalinho de fronte das cazas em que vive na Rua de Val trebelho. E assim mais de huma terra que esta saindo das portas do Castelo pera baixo de que se faz menção no tombo velho, adiçam setenta e duas. sem embargo de estarem aforados, pela camara em cento e vinte reis, o qual prazo anuIej E pus os duzentos reis que andavam nos Roes passados dos foros da camara:
Soma dos foros
Somão os foros atras do conçeIho desta vila em que el Rej tem sua terça sete mil E cento E onze reis. - bij c. xj.
TITOLO DAS SERUENTIAS QUE SE PROVERAM NESTA VILLA E SEUS ARREDORES QUE ESTAVA.M PERDIDAS E DANEFICADAS
tomousse Imformaçom sobre o camjnho de Manoel Roiz çurador emtre o pomar de Jorge françisco e cham de françisco da Costa lemos. Achou-se que era neçesareo prouerse na manejra seguinte - que se faça hum caminho de carro como antigamente era des da ponta do seu vaIado ate o fundo delle o qual se fara a sua custa e pello dito caminho nem elle nem outra pessoa levara agoa e se fara este caminho em termo de tres dias com pena de vinte cruzados pera o concelho E cativos:
achej que dominguos machado manoel fernandez do Castelo, tosador Manoel Roiz tosador e as proenças E a molher que ficou de antonio fernandes Orelha e domingos Gêz albardejro fizeram huma regadia de nouo pella estrada Real que uaj da ponte de martimcolo ate o laguar de constança anes com que tem deitado a perder a estrada E calçada que o conçelho tinha feito sendo huma das prençipais estradas desta villa E alen diso leuam pella quelha abaixo que vai dereita ao cabrejro a mesma agoa com que tambem de todo tem deitado a perder a seruentia que hia pera as vinhas por honde vinham caualgaduras carreguadas de Uvas pera o lagar E oje esta todo empedido pelo que mando que em termo de tres dias se conçerte a dita estrada e quelha em forma que fique de modo que passem por ella caualgaduras carregadas como dantes era E não leuem mais agoa pella dita estrada e quelha com pena de vinte cruzados pera cativos e conçelho.achej que luis de proença coneguo da guarda de trinta djas a esta parte se tapou hum pedaço de terra do concelho na carrejra de Samtiago mando que loguo se de Rube a parede E se restetua ao conçelho a força que se lhe fez per ser cousa necessarea E não se podera aforar.achej que Aluaro Roiz panejro ManoeI alvres francisco correa manoel Roiz çur­rador francisco fernandez cabrito fazem huma regadia noua de hum año a esta parte com a qual regadia tem estrujdo a estrada que uaj pera a louvosa (Olivosa) mando que o dito caminho e estrada se conçerte Em termo de tres dias E não levem mais per hj agoa com pena de vinte cruzados.achej que Ana paiz de Sam francisco veuva deitou huma agoa pelo camjnho do conçelho onde chamão o prado aquem da ponte do coanhoso a qual agora sem­pre foy per dentro da sua vinha E a deitou fora. mando que em termo de hum dia torne a lançar a agoa per dentro da sua vinha E não alançara mais fora com pena de vinte cruzados pera conçelho E captivos.
Achey que dominguos machado, tem tomado hua serventia da Oliuosa pera o  Ribeiro do cabrejro que era Seruentia de todas as vinhas mando seja destapada em termo de tres dias e elle noteficado que em tempo algum a torne a tapar com pena de vinte cruzados pera conçelho E captivos.
Achej que pella estrada Real que começa a Sam lazaro, ate ponte de Redemoj­nhos E da outra ate o porto dazenha se leua a agoa pelo mejo da estrada em que faz notauel prejuizo per ser huma das premçipais da terra E alem diso se faz regadia noua desdo cham de Manoel nunes te a ponte de redomojnhos isto de quatro ou çinco anos a esta parte mando que os que tem regadias peraquela parte não leuem agoa senão ao longuo das paredes E comaros com pena de vinte cruzados pera cativos E conçelho e os que fizeram a Regadia noua do cham de m.el nunes pera baixo não poderam nunqua levar a dita agoa nem usar da regadia sob a dita penna. E os que fizeram a reguadia nova pera a parte da ponte de redemoinhos são bastiam Glz bernardo da Costa cazeiro da quinta de dona Joana.achey que guonçalo Roiz tem apertado a seruentia do cham que tem ao laguar de costança anes mando que seja noteficado largue a dita serventia da parte do cham dos herdejros de Guaspar fernandez e de joam Solo de lionis em termo de tres dias com pena de vinte cruzados pera conçelho E cativos.todas as pessoas que tem chãos no aRizado que entestam com o serrado de Luiz dalmeida de manejra que posa huma caualgadura passar carreguada com vivos ou vinho asim como dantes hia com pena de vinte cruzados pera cativos E con­çelho.O ferrejra aRancara huma olivejra que pos da fronte da sua porta por fazer prejuízo sob amesma penna o qual viue as portas de valtrebelho E satisfara em dous dias.
Achej que Antonip nunes portugues, desta villa faz nouamente hum cham de rcguadia por cima do cham Redondo de Luis do campo a fonte de dona anto­nia E o tem com milho E lhe leua aguoa pella corredoura abaixo não tendo nunca o dito cham regadia E ser dantes hua Relva, mando seja noteficado que nem elle nem quem pesuir o dito cham leue a dita agoa nem use da dita regadia com pena de vinte cruzados pera catiuos E conçelho por ser cousa nova E fazer muito dano, pella estrada per onde a leua.
achej que passando o ribeiro de barbas de gato, no caminho que vaj pera o tei­xoso, que o camjnho que esta emtre os pomares dos herdejros digo do anam, e pomar dos herdejros de francisco piz garrido E da banda de cima Antonio pinheiro saralhejro e seu cunhado luiz mendez, tem entre todos o camjnho muito estrejto, mando que cada hum em sua testada se Recolha pera dentro hum couado de manejra que aja camjnho por onde passem caualgaduras carreguadas em que sejam carguas de volume em termo de três dias depois de notefiquado com pena de vinte cruzados pera concelho E cativos.
E as hervageñs de todas as terras que estam no lemite desta villa E seu termo posto que sejam de reos todas sam do concelho do lemite do luguar em que estão E o concelho he Senhor dellas E as arrenda e neste rendimento tem Sua magestade a terça. 
(Continua)

Notas -  13) Carregada / Villa / Dom Pedro nas suas cazas. 14) Carregado / Villa / Cazas de D. Maria de Brito no Castelo. 15) Candal / en Al/cangosta / paga Dominguos Vas de Alcangosta. 16) … e a escritura este … prazo foi feita na nota … do tabeliam Freire Corte Real … aos seis de Maio de 1710. 17) francisquo Roiz / … / … m.el / Borges pessuê / Esta fazenda /. 18) nada / Ruj. 19) villa / gil / ujc /. 20) villa / … / by. 21) villa / Era de Simam / Gomez. 22) Nuno Cardoso / não pessue / antes o pessue / D. Pedro de Chaves por ser Brea/tiz Alvres fatella / auo de Joseph / de Macedo sogro / do dito D. Pedro /. 23) xxxij. 24) Rbiij. 25) xxiij. 26) villa. 27) xx. 28) villa. 29) gosa a Irmã / do D.ºr Fellipe / José / x. 30) villa. 31) R. / gosa o D.ºr Ver/doso. 32) villa. 33) o gosa / M.el José / ct.º. 34) villa. 35) gosam oje er/deiros d… / uam de Lxª / he g. ºr … Nu/gueira / ijc. Lxxx. 36) Teixoso. 37) R. 38) villa / Dona Inês Botelho / carreg. /. 39) biij. 40) villa. 41) iijc. LR. 42) Teixoso. 43) xx. 44) villa. 45) xb. 46) villa. 47) Trata o / gordeto. 548) x. 49) villa / villa / C. 50) villa / x / Fortuninha / Inorado.
51) villa / x / verdoso. 52) villa / lxxxij / Carregado.53) villa / Boralho / C. 54) xx. 55) villa. 56) x. 57) villa / (palavras riscadas) / Inorado. 58) xx. 59) villa / (palavras riscadas) /. 60) villa / xx / Bo./rata / C. / . 61) Boidobra inorado. 62) Boi/dobra / Joam / Fernandes / do Tortozendo. / e José / Antunes /. da Boido/bra. 63) villa / Gosa / D. Francisca / Xavier / Carregado /. 64) R. 65) villa / gosa / o Doutor luís / António /. 66) R. 67) villa / o moinho / gosa o gai/teiro / e as cazas / sam da reziden/cia da Igreja

Notas dos editores - a) Jorge de Faria Garcês foi provedor da Misericórdia em 1593-1594.
b) Manuel da Nave foi provedor da Misericórdia de 1597 a 1599.
As fotografias são da autoria de Miguel Nuno Peixoto de Carvalho Dias.
Fonte - Está publicado no II volume de "Os Lanifícios na Política Económica do Conde da Ericeira", págs 162 a 189
As publicações do blogue:
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2012/09/covilha-as-publicacoes.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2013/05/covilha-o-2-aniversario-do-nosso-blogue.html

Os tombos já publicados neste blogue:
 
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2013/08/covilha-os-tombos-x.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2013/07/covilha-os-tombos-ix.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2013/05/covilha-os-tombos-viii.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2013/04/covilha-os-tombos-vii.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2013/03/covilha-os-tombos-vi.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2013/02/covilha-os-tombos-v.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2013/01/covilha-os-tombos-iv.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2012/12/covilha-os-tombos-iii.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2012/11/covilha-os-tombos-ii.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2012/10/covilha-os-tombos-i.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2012/06/covilha-misericordia-uma-instituicao-de.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2011/10/covilha-mosteiro-de-santa-maria-da.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2011/11/covilha-mosteiro-de-santa-maria-da.html
http://covilhasubsidiosparasuahistoria.blogspot.pt/2011/12/covilha-mosteiro-de-santa-maria-da.html.

Sem comentários:

Enviar um comentário