segunda-feira, 6 de junho de 2011

Covilhã - Sobre o Processo da Inquisição de Gonçalo Vaz III

Inscrições na Universidade de Salamanca – 1567/68

Luiz Fernando Carvalho Dias obteve de um Professor da Universidade de Salamanca, cujo nome não nos deixou, uma cópia dos termos de matrícula dos estudantes portugueses num dos anos (1567/8) em que Gonçalo Vaz (1) frequentou esta Universidade. Aí encontramos a prova da sua presença no curso de Leis, assim como da dos seus companheiros com quem judaizou, e ainda de outros covilhanenses: Um que, mais tarde, como comissário do Santo Ofício, intervirá no seu processo de Lisboa e outro, António Cão, irmão de Manuel Cão que irá ser morto por António Vaz, seu irmão.
Vamos hoje publicar essa lista dos termos de matrícula dos estudantes covilhanenses em Salamanca, que fica a uns duzentos kilómetros da Covilhã. No espólio do investigador encontrámos também uma estatística de estudantes portugueses em Salamanca nesse ano de 1567/68, que também publicamos.
A Universidade de Salamanca é uma das mais antigas da Europa, contemporânea de Sorbonne, em Paris, Bolonha, em Itália, ou de Oxford e Cambridge, no Reino Unido. Foi fundada no tempo do rei Afonso IX, de Leão, Espanha, em 1218 com o nome de Estudo Geral. Por comparação diremos que o Estudo Geral português foi criado no reinado de D. Dinis em 1288-90.
Esta Universidade discutiu assuntos tão relevantes como a importância do projecto de viagens para Ocidente apresentado aos Reis Católicos por Cristóvão Colombo (século XV), ou, depois, os direitos dos indígenas, habitantes de terras descobertas na América Central. Tornou-se um esteio essencial do poder absoluto em vigor na Época Moderna (século XV-XVIII) e um foco extraordinário de cultura. A sua fama foi tão grande que na 2ª metade do século XVI chegou a ter milhares de alunos inscritos, em especial provenientes da Península Ibérica. Só assim entendemos e damos relevo à lista que a seguir publicamos.
À margem, mas não menos interessante, vale a pena referir que Salamanca, onde Luiz Fernando Carvalho Dias gostava de passar dias a fio, é ainda hoje uma cidade a visitar e a usufruir. A praça da Universidade, com fachada de estilo plataresco, construída entre 1529 e 1533, é imperdível.

                               Salamanca - Praça da Universidade

Matrícula de Estudantes e  Bacharéis Covilhanenses e Contemporâneos de Gonçalo Vaz, na Universidade de Salamanca, Ano 1567/68
                                             
Em 12 de Novembro de 1567
fls 23 Álvaro Nunes, natural de Covilhã, diocese da Guarda (“ Alvº nuñez nªl de Cubillana diocesis de la Guarda”)
António Gomes, natural da Covilhã, diocese da Guarda.
fls 25 vº Domingos Geraldes, natural da Covilhã, diocese da Guarda.

Em 14 de Novembro de 1567, 6ª Feira
fls 28 vº Diogo de Figueiredo, natural de Manteigas, diocese da Guarda.

Em 18 de Novembro 1567
fls 40 vº António Rodrigues, natural da Covilhã, diocese da Guarda.

Estudantes e Bacharéis Legistas:
Em 12 de Novembro 1567                       
fls 55 Fernando Brandão de Mesquita, natural da Covilhã, diocese da Guarda.
fls 55 vº Gonçalo Vaz, natural da Covilhã, diocese da Guarda.

Estudantes Teólogos ano de 1567 em 1568
Em 12 de Novembro 1567
fls 70 vº Francisco Álvares, natural da Covilhã, diocese da Guarda, presta tº
fls 72 vº Jorge d’ Eça, natural da Covilhã, diocese da Guarda.
fls 74 Jorge Roberto, natural do Fundão, diocese da Guarda.

Medicina Sectatores (2)
Em 12 de Novembro 1567
fls 87 Rodrigo Jácome, natural da Covilhã, diocese da Guarda, b. ar.
Em 14 de Novembro 1567
fls 87 vº Marcos Rodrigues, natural de Estremoz, diocese de Évora b. ar..
Francisco Nunes, natural de Estremoz, diocese de Évora b. a.
Gaspar Nunes, natural de Torre de Moncorvo, diocese de Braga.

Faculdade das Artes
Em 22 de Novembro 1567    
fls 90 Diogo Rodrigues, natural da Covilhã, diocese da Guarda
fls 91 Domingos Álvares, natural do Fundão, diocese da Guarda
Francisco Moreno, natural do Teixoso, diocese da Guarda
fls 91 vº Jorge Rodrigues, natural da Covilhã, diocese da Guarda
fls 97 vº Marcos Dias, natural de Portalegre
fls 103 Álvaro Pais, natural de Castelo de Vide, diocese de Portalegre, em 1º de Junho 1568
António Rodrigues, natural da Covilhã, diocese da Guarda, em 18 de Junho 1568
fls 104 vº Melchior Vaz, natural da Covilhã, diocese da Guarda, a 30 de Outubro (1568)

fls 107 Gramáticos
Em 12 de Novembro 1567:
fls 110 António de Queimada, natural da Covilhã, diocese da Guarda
fls 113 Pero Barreiro, natural de Aldeia de Joanes (4), diocese da Guarda
fls 119 António Cão, natural da Covilhã, diocese da Guarda
fls 120 Jorge Martins, natural da Covilhã, diocese da Guarda
fls 121 Lourenço Mendes, natural de Aldeia Nova (4), diocese da Guarda
fls 127 Paulo Simão, natural da Covilhã, diocese da Guarda
fls 130 Francisco João, natural de Aldeia Nova (4), diocese da Guarda
fls 137 Pero Mendes, natural da Covilhã, diocese da Guarda
fls 139 Francisco Lopes, natural do Fundão, diocese da Guarda
fls 140 vº Melchior Vaz, natural da Covilhã, diocese da Guarda

Canonistas 1568:
fls 153 Lourenço Mendes, natural de Aldeia de Joanes (4), diocese da Guarda, a 23 de Junho.


        Estatística dos Estudantes Portugueses em Salamanca em 1567/68

Dioceses:
Braga – 129
Miranda – 71
Porto – 14
Lamego – 58
Viseu – 24
Guarda – 66
Coimbra – 30
Lisboa – 67
Évora – 56
Portalegre – 26
Algarve – 10 (diocese de Silves)
Tomar – 3 (não é diocese)
Angra – 6
Funchal – 2

Ao todo são 562 inscrições de portugueses. Há que contar que alguns frequentavam mais que uma faculdade e, portanto, aparecem matriculados em mais do que um lugar.

Notas dos Editores - 1) O referido sob o nº 100 Lista dos Sentenciados na Inquisição, cujo Processo estamos a apresentar. 2) O que segue ou o que acompanha o curso. 3) Os nomes de estudantes que se encontram em bold são os referidos no processo da Inquisição do covilhanense Gonçalo Vaz. 4) Aldeia Nova ou Aldeia Nova do Cabo, concelho do Fundão, que esteve ligada a Aldeia de Joanes.

Sem comentários:

Enviar um comentário